O processo de tradução do Collegian

Leia o Collegian em nove idiomas diferentes

Back to Article
Back to Article

O processo de tradução do Collegian

By Translations Staff and Portuguese Staff

Hang on for a minute...we're trying to find some more stories you might like.


Email This Story






Quem são os tradutores e editores? 

Tradutores são falantes nativos, falantes de herança (aqueles quem falam um idioma em casa, mas não tem muita experiência escrita) ou aqueles que estão atualmente aprendendo o idioma de destino. Embora todos os editores atuais sejam falantes nativos, consideramos experiência usando os idiomas de destino nos ambientes acadêmicos e imersão ao fazer decisões de contratação.

Quais artigos são traduzidos? Quando são traduzidos os artigos?

Cada idioma é designado a um dia da semana entre segunda e quinta; departamentos maiores, tal como os de francês e chinês, trabalham dois dias. No seu dia designado, tradutores escolhem um artigo para traduzir que tenha sido publicado no Collegian naquele dia, baseado em interesses e relevância.

O número dos artigos traduzidos é determinado pelo número dos tradutores no departamento. Por exemplo, o departamento de francês tem quatro tradutores, então quatro artigos serão republicados em francês cada semana. Japonês tem um tradutor, então um artigo será publicado em japonês a cada semana.

À medida que mais tradutores e editores se envolvem, teremos a habilidade traduzir mais artigos. Cada tradutor tem aproximadamente 24 horas trabalhar no seu artigo antes de passá-lo ao editor do idioma.

“Eu tento encontrar um equilíbrio entre o quão interessante o artigo é para mim, e o quão importante é para comunidade da UMass. Se for interessante e importante, então é uma escolha certa para mim” – Jonathan Heinrichs, tradutor de chinês.

Nós cobrimos as notícias de última hora? 

Sim. Quando há notícias de última hora, o departamento recebe o artigo da seção de notícias. De lá, um tradutor pode traduzir o artigo por conta própria, ou vários tradutores do mesmo idioma podem dividir a tradução. Editores mantém contato com seus tradutores para ter certeza que o artigo está sendo traduzido o mais rápido possível e estar disponível para responder quaisquer perguntas que tradutores possam ter durante o processo.

Quais métodos usamos para traduzir? 

Primeiro, o tradutor lê o artigo inteiro para desenvolver um conhecimento do conteúdo e a voz do autor. Então, eles fazem uma tradução aproximada, parágrafo por parágrafo ou frase por frase. O tradutor fará uma tradução literal ou figurativa e então, a tradução é lida para ter a certeza que as frases e ideias fluem no idioma de destino. Por exemplo, o conceito de um “desligamento do governo” existe em inglês, mas não em chinês. Para encontrar um equivalente apropriado, o tradutor tem que descobrir a ideia por trás do conceito e sua conotação

“Tudo depende no contexto da frase, parágrafo ou até mesmo do artigo. Algumas frases podem ser tecnicamente corretas em termos de gramática e ortografia, mas ainda não refletir precisamente o que o autor quis dizer, e é por isso serviços como Google Translate não podem substituir tradutores humanos” – Drew Sullivan, tradutor de português.

Para palavras e frases que são difíceis de traduzir ou ainda não são conhecidos, usamos uma variedade dos recursos. Linguee e WordReference  são dois dicionários online que fornecem definições com exemplos da palavra em contexto. Adicionalmente, cada departamento do idioma mantém um glossário em execução das palavras e frases técnicas que aparecem frequentemente nos artigos.

Tradutores também são encorajados a pedir ajuda um para o outro, para seus editores, colegas, amigos e família que tenham conhecimento do idioma de destino.

O que um editor procura num artigo traduzido?

Editores procuram por erros de gramática, estilização e conteúdo.

Há algum erro de ortografia ou gramática? Nos idiomas românticos, como português, espanhol, italiano e francês, substantivos podem ter dois gêneros; em alemão, podem ter três.

As ideias apresentadas na versão em inglês são transpostas para a versão traduzida? Alguns editores, como a editora de espanhol, Adriana Rozas, escolhem ler os artigos traduzidos primeiro, para ter a certeza que ele flui como se estivesse sido escrito originalmente no idioma do destino, e então ler a versão em inglês. Outros preferem ler a versão em inglês primeiro.

A editora de alemão e tradutora de espanhol, Xenia Ariñez de la Veja, faz ambos.

“Para artigos mais prolixos, tipo editorais (op-eds), eu geralmente leio o artigo original primeiro ter uma boa ideia da voz do autor e o do conteúdo do artigo. Para artigos mais diretos, leio o artigo traduzido diretamente e verifico o artigo original para ver o que o autor quis dizer, se uma frase parece um pouco estranha,” disse Ariñez de la Vega

Adicionalmente, como uma fonte de notícias, nós cobrimos questões delicadas e tópicos que envolvem discurso de ódio ou ações que não tem tradução direta. Editores tem que verificar que a gravidade destes eventos sejam refletidos responsavelmente e precisamente na versão traduzida.

“A parte mais difícil para mim, é traduzir palavras preconceituosas ou discurso de ódio que frequentemente aparecem nas notícias de última hora. Não estamos acostumados com essas palavras porque não há termos específicos em japonês que sejam equivalentes. Porém, eu acho que deveríamos traduzir até mesmo essas palavras corretamente para informar quaisquer estudantes do que exatamente aconteceu na UMass.” – Yurika Yamazaki, editora de japonês.

Tradutores dão uma tradução literal ou deixam o conceito em inglês. Então, editores decidem qual é a opção mais apropriada para a situação, o que pode significar incluir uma explicação do conceito e suas conotações em parênteses.

Por que esses processos são importantes?

Não há duas línguas que expressem ideias da mesma maneira. Em francês, há uma ênfase maior nas diferenças entre discurso formal e informal do que em inglês. Então, ao traduzir artigos, especialmente entrevistas, editoras precisam considerar tanto as “dicas” contextuais quanto as normas culturais do mundo francófono para decidir a tradução apropriada. Em japonês, ideias geralmente são expressas ambiguamente, ao contrário do inglês, que é mais direto. Em chinês, não há uma forma verbal indicativa do pretérito ou plurais; em vez disso, outros conceitos, tal como frases que marcam tempo e medida, são usados para dar contexto.

“Toda a preparação é visando precisão, que é a coisa mais essencial para a tradução.” disse Ying Hua, editor de chinês

Onde são publicados os artigos traduzidos?

Artigos traduzidos podem ser encontrados no dailycollegian.com. Temos uma aba no topo do site do Collegian com um menu suspenso listando cada um dos idiomas fornecidos.

O número de idiomas traduzidos pelo Collegian permanece constante?

Por parte da versão em inglês do jornal, há um processo de edição pelo qual cada artigo tem que passar para ser publicado. As três rodadas de edição pelas quais um artigo passa em inglês ajudam a garantir precisão. Artigos traduzidos também são mantidos num alto padrão de edição. Para produzir traduções factuais, é necessário que haja tanto um editor quanto um tradutor para o idioma. Nós fornecemos artigos no ano passado e no semestre passado em coreano e vietnamita porque, naquela época, tínhamos um editor e ao menos um tradutor. Atualmente, estes departamentos têm um ou menos funcionários, mas estamos trabalhando para continuar com as publicações nestes idiomas.

Editor: Gabriella Lalli Martins

Translators: Drew Sullivan, Charles Williams