“Sex Education” 2ª Temporada: quebrando o medo do tabu mais uma vez

Um olhar sobre a segunda temporada do programa que roubou o coração das pessoas com uma conversa não-sexy sobre sexo

Courtesy+of+the+%22Sex+Education%22+official+Facebook+page

Courtesy of the "Sex Education" official Facebook page

Após o sucesso indiscutível da primeira temporada, a segunda temporada de ‘Sex Education’ tinha que estar a altura. Felizmente, isso nao foi um problema. Todos os personagens principais favoritos retornaram, incluindo Otis (Asa Butterfield), Eric (Ncuti Gata) e Maeve (Emma Mackey). Esta temporada, no entanto, é menos focada na clínica sexual de Otis e Maeve, que se torna quase uma reflexão em segundo plano, e as relações individuais entre os personagens, incluindo novos romances e triângulos amorosos, ocupam o centro do palco. 

A segunda temporada continua abordando tabus sem medo, adotando uma abordagem ousada, porém sensível, ao enfrentar esses problemas. A honestidade e franqueza do programa ao redor de tópicos polêmicos são refrescantes e lembram aos espectadores, geralmente mais novos, que é saudável expressar seus problemas. Alguns dos muitos tópicos explorados incluem agressão sexual, assexualidade, consentimento e pansexualidade. No entanto, apesar de seu conteúdo explícito, o programa mantem seu caráter cômico, o que impede que o show se torne muito tenso ou melancólico. Começando de onde a primeira temporada parou, o programa mergulha diretamente no elemento de humor e surpresa ao iniciar a temporada falando sobre Otis Wilburn e seu “problema de masturbação” onde a plateia fica sujeita a várias cenas de Otis se masturbando às pressas, com I Touch Myself de Scala & Kolacny Brothers tocando no fundo. 

No entanto, o personagem do Otis  deixa de ser o mais amado e passa a ser irritante ao longo da temporada. Embora seu personagem precise enfrentar problemas pessoais e de relacionamento, o público fica exposto ao seu lado rude. Em um dos episódios, vemos Otis ficar bêbado pela primeira vez. Ele se torna um personagem muito egoísta e desagradável.  Esse aspecto desagradável dele também é destacado em várias outras cenas, e ele acaba sendo cruel com alguns outros personagens, incluindo sua amorosa mãe Jean (Gillian Anderson). 

Os espectadores também são apresentados a muitos personagens novos do programa, mas o enredo não se torna confuso, apesar de seus inúmeros sub-enredos. Muita coisa acontece nos oito episódios de uma hora, que se concentram nos personagens novos e antigos. O desenvolvimento e o ritmo do personagem são um aspecto da segunda temporada que ajudam a tornar o programa o sucesso que ele é, pois cada personagem tem sua chance de brilhar e, através do roteiro incrível, somos forçados a simpatizar com cada personagem. Um bom exemplo desse desenvolvimento de caráter é evidente através de Aimee Lou Wood, interpretada por Aimee Gibbs. Sua personagem sofre uma agressão sexual. Descrita de forma crua e devastadora, somos lembrados de como a agressão sexual pode ser prejudicial e as consequências traumáticas que ela pode ter na saúde mental da vítima. No entanto, o aspecto da unidade é importante nesta temporada, pois como os espectadores, somos constantemente lembrados da importância de ter pessoas que nos suportem e apoiem. Como sempre em ‘Sex Education’, o tema da amizade é consistente e nos damos conta da importância da comunicação.

É claro que o sexo e os muitos aspectos diferentes que ele abrange ainda são os tópicos nos quais a série mais se apoia. Mas, apesar de estar centrado em sexo, não busca o sexy. É claro, através da sinceridade do programa, que o objetivo é confrontar o lado menos sexy do sexo e educar seus espectadores joven sobre os problemas que você pode encontrar em relação a ele, e é esse o objetivo que diferencia este programa dos outros. Problemas como fetiches e vulnerabilidade são todos explorados de várias maneiras, e os problemas são amplamente tratados por conselhos de amigos ou da mãe de Otis, Jean, que assume a posição de terapeuta sexual da escola. 

O que continua ser irônico é a estética e visual do show. Cores vivas, roupas coloridas, belas paisagens e produção de alta qualidade ao estilo americano, para um show que é corajoso e certamente britânico em seu humor. Indiscutivelmente, é isso que faz com que as pessoas se identifiquem com o programa, pois existem elementos para todos os interesses. A inclusão e diversidade do programa, assim como na primeira temporada, é notável e, nesta temporada, somos apresentados a Isaac (George Robinson), que está em uma cadeira de rodas após um acidente e é interpretado por um ator que também usa uma cadeira de rodas. 

‘Sex Education’ é um programa digno de se maratonar e merece a atenção não apenas dos adolescentes, mas também dos adultos. É uma comédia dramática que se baseia em tópicos mais pesados e, ao mesmo tempo, se mantém alegre e engraçada. Mas talvez seja melhor não assistir com seus pais.

Rionagh Douglas pode ser contada através do rdouglas@umass.edu.

Carly Longman é tradutora de português do Collegian e pode ser contada através do [email protected]

Gabriella Lalli Martins é editora de português do Collegian e pode ser contatada através do [email protected]